top of page

Como definir um Orçamento para sua empresa

Atualizado: 12 de jan.

Definir um orçamento para sua empresa é uma das partes mais importantes do planejamento financeiro. O orçamento é o limite de gastos que a empresa deve ter com determinado tipo de despesa. Esse limite pode ou não ser proporcional ao crescimento da empresa, e pode ou não ser igual ao faturamento da empresa.


Normalmente, se recomenda criar um orçamento que seja igual ou menor do que o faturamento da empresa, pois caso haja perda de clientes ou algum imprevisto que afete a receita da companhia, nenhum setor fica totalmente descoberto, ou seja, com dinheiro em falta.

Mas existem casos, principalmente em startups de tecnologia, em que a previsão de despesas é maior do que o faturamento da empresa, no começo. Então a empresa tem alguns meses de queima de caixa (que geralmente é abastecido por investimentos externos) e o que se espera é que essa queima gere resultados que tornem a empresa rentável, ou seja, gaste menos do que ganha. Se elas conseguem fazer isso ou não é tema para outro post...


Qual o passo a passo para criar um bom orçamento?


Partindo do pressuposto que você é um empresário conservador e quer gastar menos do que ganha, o primeiro passo é avaliar a situação atual da empresa.

  • Quanto estamos faturando de forma recorrente?

  • Quanto estamos faturando de forma pontual?

  • Quanto estamos gastando?

  • Em que estamos gastando?

  • Quanto sobra no fim do mês?

Pronto. Agora você tem uma noção da rentabilidade atual da empresa para começar o planejamento do seu orçamento.


Agora, é interessante avaliar quanto dinheiro existe no caixa da empresa e qual a quantia ideal para se proteger de qualquer imprevisto (como uma pandemia mundial que acaba com seu mercado, por exemplo).

A maioria das fontes recomenda um caixa suficiente para bancar de 3 a 6 meses da sua operação. Ou seja, o saldo do banco da empresa deve ser suficiente para cobrir de 3 a 6 vezes as despesas de um mês. Chamamos isso de Índice de Liquidez.

Índice de Liquidez = saldo do caixa / despesas e custos mensais

Se seu índice for menor que 3, o primeiro plano de ação é destinar parte do lucro mensal da empresa para abastecer o caixa. A quantia vai depender de quão rápido você quer alcançar um índice mais alto e de quanto dinheiro estará disponível para tanto.

Se não sobra nenhum dinheiro para abastecer o caixa no fim do mês, existe aí um problema de rentabilidade do produto ou serviço vendido, mas isso também é outro assunto, que discutiremos num próximo post. Por enquanto, vamos nos ater ao orçamento.


Depois de definido quanto dinheiro será reinvestido no caixa da empresa, é preciso definir quanto do dinheiro que sobrou vai ser destinado para cada setor da empresa.


Quanto devo destinar para o time?


O quanto você gasta com o time depende do custo da mão-de-obra que você necessita na sua empresa, das obrigações que você tem para cada tipo de função (benefícios, impostos, piso salarial) e da eficiência do seu negócio.

Um indicador interessante de acompanhar para definir o orçamento desse setor é o Índice de Eficiência Operacional (IEO). O IEO é basicamente a proporção entre o seu faturamento e o quanto você paga hoje para a equipe.

IEO = despesas com folha de pagamento / faturamento

Na contabilidade e em serviços em geral, a referência utilizada para esse índice é de 40%. Ou seja, 40% do faturamento deve ser destinado à remuneração fixa da equipe. Esse número pode ser difícil de alcançar se você tem uma equipe ineficiente, ou seja, gera pouca receita e custa caro. A tecnologia é um bom aliado na hora de aumentar a eficiência da equipe e é dela que vamos falar agora.


Quanto devo destinar para tecnologia?


Primeiramente, a empresa precisa ter infraestrutura para trabalhar. Móveis, máquinas, equipamento, material e o que mais for necessário para um bom desempenho das atividades do dia a dia. O investimento em infraestrutura vira patrimônio da empresa, então não é de fato uma despesa. Mas quando existe uma quantia considerável que é destinada para aumentar o imobilizado da empresa, isso é destacado nos demonstrativos da empresa como CAPEX (Capital Expenditure).


Já as despesas com tecnologia propriamente ditas, como mensalidades de sistemas, softwares, CRMs e ERPs devem obedecer a lógica de orçamentação também. Não existe uma regra para quanto do faturamento deve ser destinado para isso, mas tenha em mente que quanto maior o investimento em tecnologia, maior a eficiência da equipe, mais valor é entregue ao cliente e maior o controle que o empresário tem do negócio. Portanto, é um investimento que não pode ser negligenciado.


Quanto devo destinar para o marketing?


O investimento e marketing é um pouco mais complicado.

Já passou do tempo que destinar um montante de dinheiro para a divulgação da empresa era algo opcional. Hoje é obrigatório!

Mas é importante definir a estratégia de marketing antes de qualquer coisa, pois é muito fácil perder dinheiro com isso. Outro ponto importante é também sempre acompanhar os resultados desses investimentos, para que possam ser realocados com agilidade, evitando perdas financeiras severas.


Se 10% do faturamento será investido em marketing, é preciso ficar atento ao lugar que esse dinheiro será colocado.

  • Vai para anúncios pagos?

  • Vai para uma agência de marketing?

  • Vai para um freelancer que produzirá somente conteúdo orgânico?

Para cada investimento desses, é preciso ter uma visão clara do Retorno Sobre o Investimento, o famoso ROI.

Retorno Sobre Investimento é simplesmente quanto dinheiro as estratégias estão trazendo versus quanto elas custam. Por exemplo: você está pagando 5.000 reais por mês para uma agência de marketing. Quantos clientes os trabalhos da agência já trouxeram? Quanto esses clientes gastaram, em média?

Se a agência traz por mês cerca de 100 novos clientes, que gastam cerca de 200 reais cada, o seu ROI é igual a 4. Ou seja, a agência faz você ganhar 4x mais do que está gastando com ela.


Quando o empresário compreende bem quais são os índices de retorno da sua estratégia, fica fácil definir o orçamento do marketing, pois também fica mais fácil prever quanto a empresa vai crescer, e quando a empresa cresce, o investimento em marketing cresce junto, e assim por diante.

A lógica para o departamento de vendas segue a mesma lógica.


Quanto devo destinar para vendas?


A orçamentação do departamento de vendas mistura a lógica do orçamento para funcionários com a lógica utilizada nos investimentos em marketing.

A equipe de vendas pode ter um salário fixo e, portanto, um índice de eficiência esperado dela. Mas ela também é responsável por trazer novos clientes e pode ser paga em comissões, o que não afeta o orçamento diretamente.

Quanto o time de vendas é remunerado por comissão, isso afeta a rentabilidade do produto ou, em caso de receita recorrente, a rentabilidade do serviço no primeiro mês. Mas é uma ótima estratégia para quem quer aumentar o investimento em vendas sem comprometer o orçamento atual. A empresa só tem o "gasto" quando há uma venda, que compensa esse gasto imediatamente.


Outras despesas


Em cada tipo de empresa, podem existir inúmeros tipos de despesas, e todas elas devem ser contempladas no orçamento. Tanto aquelas variáveis, que aumentam proporcionalmente ao crescimento da empresa, quanto as fixas, que mudam pouco com o tempo.


Quando se definem esses limites de gastos para cada setor, além de tornar o controle de despesas e rentabilidade muito mais fácil, também torna a equipe corresponsável pelo resultado da empresa. Pois o time passa a entender que, para haver aumento de salários, novas contratações, novos sistemas e mais investimentos, a empresa precisa crescer e adquirir mais clientes.

Ao atrelar o orçamento ao faturamento da empresa de uma forma proporcional, você cria uma cultura de dono, onde todos passam a ser responsáveis pelos próprios benefícios, e isso gera um ciclo de crescimento que só pode levar a um destino: a prosperidade!




Quer ajuda para criar o orçamento da sua empresa? Entre em contato.

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page