top of page

Planejamento Estratégico - O que é, como fazer e o que tem a ver com contabilidade?

Atualizado: 12 de jan.

Todo empresário sonha em crescer. Sonha em ir para um local maior, vender mais, aumentar o lucro, ter sucesso. Mas os empresários que conseguem atingir esses sonhos são aqueles que entendem que a única coisa que separa ele do sonho é um bom plano.

E se perguntássemos aos empresários se eles possuem um plano para atingir seus sonhos, 99% diria que sim, mas poucos saberiam nos descrever esse plano.

Se você for empresário e estiver lendo esse post, me responda: você possui um plano para atingir seus objetivos?

Agora me responda isso: quais são esses objetivos? É possível mensurá-los?

Em quanto tempo você quer atingir esses objetivos?

Por que sua empresa ainda não atingiu esses objetivos?

Qual o próximo passo para a sua empresa atingi-los?

Quais condições são necessárias no curto, médio e longo prazo para atingi-los?

Se você não sabe a resposta para alguma das últimas 5 perguntas, sinto muito, mas você não tem um plano.


A boa notícia é que esse post vai te ajudar a pelo menos começar a traçar esse plano.


Um bom plano: o que é o planejamento estratégico?

Planejamento estratégico é a atividade de planejar as investidas de uma empresa de forma estratégica, ou seja, pensando nas diversas variáveis que impactam um negócio, interna e externamente.

Cada decisão tomada em uma empresa geralmente beneficia um setor e prejudica outro. Aumentar o preço de um produto pode aumentar a margem, mas reduzirá as vendas.

Aumentar o salário dos funcionários pode aumentar a moral, reduzir rotatividade, mas aumenta os custos. Por isso, um bom plano sempre deve considerar todos os impactos e impactados em cada negócio.


Como estruturar um planejamento estratégico?

Aqui na Bonet e nos clientes que ajudamos, separamos as etapas do planejamento estratégico em 6 passos. Quatro deles servem para dar início ao processo. Os outros dois devem ser feitos de forma perene, até que seja necessário replanejar tudo (anualmente, de preferência).


1ª etapa: Posicionamento

Através de algumas ferramentas gerenciais e de um bom conhecimento do mercado em questão, deve se definir como a empresa quer se posicionar. Existem muitos concorrentes no mercado? O que eles fazem? Existe público para o nosso produto/serviço? Como ele se comporta?

A matriz SWOT pode ser um bom ponto de partida para essa discussão.


2ª etapa: Modelo de Negócio

Estando definida a forma como a empresa quer se posicionar no mercado, é necessário definir o que a empresa precisa ter ou fazer para se posicionar desta forma. Uma ferramenta que auxilia nesse processo é o Business Model Canvas. Mas é interessante incluir mais informações do que as "solicitadas" no Canvas, pois as condições necessárias para que a empresa se estabeleça pode diferir de negócio para negócio.

Essa etapa visa responder perguntas como: Quais produtos a empresa irá vender? Quais serão as fontes de receita? Qual o modelo de custos? Como será o relacionamento com o cliente?


3ª Etapa: Objetivos

É nessa etapa que os sonhos que comentamos lá no começo deverão ser quantificados.

Qual o objetivo dos sócios? Onde a empresa quer chegar? Quais condições atuais do negócio devem ser mantidas?

Aqui é necessário que, com base no posicionamento desejado e no modelo de negócio definido, sejam definidos números que a empresa quer atingir (faturamento, lucro, rotatividade, etc), que possam ser mensurados periodicamente para acompanhar a evolução da empresa.

Tentando sempre contemplar todas as perspectivas possíveis no planejamento, ferramentas como BSC (Business Score Card) podem ajudar a criar uma rede de objetivos mais eficiente.


4ª Etapa: Planos de Ação

Nessa etapa, devem ser definidas quais ações, atividades, projetos e rotinas devem ser seguidas ao decorrer do plano para que os objetivos sejam atingidos. Além disso, as ações também precisam ser ordenadas por prioridade, seja por urgência ou importância. Mas é importante haver uma ordem para facilitar a cobrança e para que não seja feito tudo de uma vez só (o que provavelmente faria com que nada fosse bem feito).

A matriz GUT é uma das ferramentas que podem auxiliar no processo de priorização das ações.


5ª Etapa: Acompanhamento

Esse plano não pode ser simplesmente discutido uma vez ao ano e deixado de lado. É importante que haja um acompanhamento periódico da evolução das ações e dos objetivos para haver uma maior chance de realização das ações e para serem feitos ajustes quando necessário.


6ª Etapa: Revisão

O planejamento também precisa ser revisado periodicamente, pois cenários mudam e objetivos também. Além disso, o tempo faz com que o empresário aprenda coisas que não sabia ao realizar o primeiro planejamento, e revisando o plano ele terá oportunidade de aplicar essa experiência.


E o que tudo isso tem a ver com contabilidade?

Depois de muito refletir sobre os objetivos da empresa, muitos empresários perceberão que o fator central de preocupação sempre será a saúde financeira da empresa. A prioridade sempre será o lucro, o faturamento e/ou o custo. E quando o empresário estiver pensando em como controlar periodicamente essas informações, ele imediatamente irá pensar (ou deveria pensar) no seu contador. É o contador que possui essas informações na ponta da língua. Ele tem todos os controles e pode gerar todos (ou quase todos) os indicadores que serão acompanhados durante a execução do plano estratégico.

O contador, pela natureza do seu serviço, precisa olhar para os dados da empresa de forma integrada. E um bom relacionamento com o contador pode ser fundamental para a boa definição e execução de um plano de crescimento.


E a sua empresa, possui um bom plano? Converse com a gente e saiba mais!







33 visualizações0 comentário
bottom of page