top of page

O Método Científico na administração de empresas: o que é o Ciclo PDCA?

Atualizado: 3 de fev. de 2023

A idade média é conhecida por muitos como a Idade das Trevas, onde o conhecimento da humanidade ficou aparentemente estagnado por cerca de MIL anos.

Tudo isso mudou quando personalidades como Leonardo da Vinci e Francis Bacon começaram a olhar para o mundo de uma perspectiva menos resignada e mais científica.

Uma dessas personalidades foi Rene Descartes, filósofo e matemático francês que propôs os fundamentos do Método Científico.

Basicamente, o Método Científico consiste em formular as perguntas certas e exigir respostas exatas e replicáveis para provar qualquer coisa. O pensamento deixa de ser guiado pela intuição, pela emoção, e passa a ser guiado pela lógica, pela razão. A ideia era buscar uma Verdade Universal, que fosse igual independentemente da perspectiva adotada.


Esse método foi o que possibilitou a evolução do desenvolvimento de medicamentos, como a penicilina, a evolução da astronomia com o heliocentrismo, da biologia com o evolucionismo de Charles Darwin e da física com a teoria da gravitação universal de Isaac Newton. Com a aplicação dessa visão mais cientifica das coisas, o mundo se desenvolveu economicamente com as grandes navegações e o desenvolvimento dos métodos e ferramentas de navegação e exploração.


Como o Método Científico funciona?


A metodologia proposta por Descartes em seu livro Discurso do Método (o mesmo onde é dita a frase "Penso, Logo Existo") consiste em basicamente quatro etapas:

  1. Observar o que está acontecendo, o alvo da análise em questão;

  2. Formular Hipóteses para tentar explicar o que está acontecendo;

  3. Realizar Experimentos na tentativa de provar a veracidade ou não das hipóteses formuladas;

  4. Aceitar ou Rejeitar as explicações propostas. Em caso de rejeição, se formula outra hipótese e se realizam novos experimentos...



Para melhor compreensão, aqui vai um exemplo prático:

Pense que você teve uma dor de barriga, e você acha que o que a causou foi o ovo que você comeu hoje de manhã. Você pode confiar na sua intuição e nunca mais comer ovos, mas concorda que existe uma chance de você estar errado e nunca descobrir?

Utilizando o método científico, o que você faria:

  1. Observaria que está com dor de barriga

  2. Formularia a hipótese de que o que a causou foi o ovo que você comeu

  3. Você comeria, novamente, um ovo no dia seguinte e observaria se a dor de barriga volta a aparecer

  4. Caso não apareça, sua hipótese de que a causa foi o ovo foi rejeitada, certo?

Repetindo esses experimentos, você pode descobrir que a dor de barriga, por exemplo, era por causa do leite que você tomou junto com o ovo, ou do óleo que você usou para fritar o ovo. Mas você nunca descobriria a verdadeira causa se tivesse confiado em sua primeira intuição.


Pode parecer banal, mas foi isso que fez a humanidade evoluir em 100 anos o que não havia evoluído nos últimos mil.


E o que tudo isso tem a ver com administração de empresas?


Essa forma mais racional de olhar para o mundo foi o que permitiu a revolução na forma de administrar empresas. Nomes como Henry Ford, Peter Drucker ou Taichi Ono (da Toyota) foram responsáveis por aplicar esse tipo de pensamento em empresas e fazer com que elas crescessem como nunca haviam crescido antes. E é essa mesma forma de pensamento que faz com que as empresas de destaquem hoje em dia.


Ray Dalio, fundador de um dos maiores fundos de investimento dos EUA, descreve o mesmo método em seu livro Princípios, mas com palavras diferentes:


  1. Defina objetivos claros;

  2. Identifique e não tolere os problemas que ficam no caminho desses objetivos;

  3. Diagnostique com precisão os problemas para atingir as causas raízes;

  4. Projete planos para superá-los;

  5. Faça o que for necessário para que esses projetos alcancem os resultados;



E o ciclo PDCA, onde entra nisso?


O ciclo PDCA diz exatamente a mesma coisa que todos esses métodos e aprendizagem contínua. Para os que não estão familiarizados, PDCA é uma sigla em inglês que resume as quatro etapas desse ciclo:

  1. Planejar (Plan)

  2. Fazer (Do)

  3. Checar (Check)

  4. Agir (Act)


Ele segue exatamente as mesmas etapas do método científico para resolver problemas empresariais, e pode ser aplicado de diversas formas em praticamente todo e qualquer departamento ou projeto.


"Mas eu já faço isso naturalmente na minha empresa"


Pode parecer que sim, pois na realidade, essa é a forma com que o ser humano foi programado para aprender qualquer coisa. Mas poucas pessoas aplicam o ciclo de forma a realmente trazer resultados.

Primeiro de tudo, muito poucas empresas e empresários usam tempo suficiente para criar um planejamento de verdade. Formular todas as perguntas a respeito de fatores internos e externos relacionados ao seu negócio e criar hipóteses a serem testadas para usar tais fatores a favor ou contra a empresa são atividades que geralmente ficam só na cabeça do empresário, seja por falta de tempo, recursos ou até iniciativa.

Então, por não criarem um planejamento decente, o empresário passa boa parte da vida resolvendo problemas e apagando incêndios.

E se não há um planejamento bem feito, é muito pouco provável que haja uma coleta e análise de dados, para verificar se as hipóteses feitas no planejamento se concretizam ou não. E se não há análise de dados, não há como criar formas de corrigir a trajetória da empresa para fora do fundo do poço.


Quer um exemplo prático?


Você já deve ter trabalhado ou ouvido falar de alguma empresa em que os donos não têm tempo para fazer um planejamento estratégico, pois estão muito focados na operação (apagando incêndios).

Nessa empresa, como não há planejamento, a empresa não sabe para onde realmente deseja ir, então tudo é prioridade, tudo é urgente. São oferecidos todos os tipos de produtos, tudo que o cliente pede é solicitado para ontem e tudo que o dono da empresa vê no instagram ele quer implementar e a equipe que se vire para conseguir fazer tudo isso ao mesmo tempo.

Como ninguém sabe o que realmente traz resultados para a empresa, ninguém pode questionar essas ordens, e o time parece trabalhar cada vez mais, sem trazer resultados efetivos. E quando os resultados aparecem, ninguém sabe ao certo explicar de onde eles vieram.

E assim a empresa segue, com alta rotatividade de funcionários, sem dinheiro para nada e atingindo sempre os mesmos resultados medíocres.



O que eu ganho usando o PDCA?


Quem utiliza esse tipo de metodologia não só evolui em termos de resultado, mas também ganha mais tempo, por estar fazendo as coisas do jeito certo, do jeito que é feito desde que a humanidade "acordou".

Em vez de se confiar em intuições e emoções de seres humanos (que frequentemente se enganam), passa a se confiar nos dados, na análise científica das situações.

A empresa passa a focar nas coisas certas, nas coisas que trazem resultados e começa a resolver problemas de forma duradoura. E as pessoas começam a realmente ter tempo para fazer o que sabem fazer, fazer o que são boas, fazer a diferença.






É esse tipo de coisa que nós da Bonet & Cia tentamos trazer para nossos clientes. Planejamento, Ação, Análise de Dados e Reação. Tanto na parte tributária e contábil, quanto financeira e estratégica. O que queremos é olhar para os problemas de nossos clientes de forma racional, de forma científica, e ajudá-los a realmente resolvê-los, para que as empresas não precisem passar pela escuridão pelo qual a humanidade passou lá atrás.

50 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page