top of page

INSS: Entenda Como Funciona

Atualizado: 12 de jan.

O Instituto Nacional do Seguro Social, conhecido como INSS, desempenha um papel fundamental na vida dos trabalhadores brasileiros. Com a aprovação da Reforma da Previdência em 2023, houve uma significativa atualização na tabela de contribuição e cálculo, trazendo mudanças importantes. Portanto, é essencial entender como o INSS funciona sob essa nova sistemática.



O que é o INSS?


O INSS, Instituto Nacional do Seguro Social, é a entidade responsável pelo pagamento de aposentadorias e outros benefícios aos trabalhadores que contribuem para a Previdência Social. Sua principal missão é garantir uma rede de proteção financeira, proporcionando segurança em diversas fases da vida.



Quem Pode Contribuir para o INSS?


Existem dois tipos de contribuintes do INSS: os obrigatórios e os facultativos.

  • Obrigatórios: São aqueles que exercem atividades remuneradas, como trabalhadores com carteira assinada, empresários, autônomos, entre outros. Para eles, a contribuição é compulsória e fundamental para garantir acesso a benefícios previdenciários.

  • Facultativos: São pessoas maiores de 16 anos que não exercem atividade remunerada. Eles têm a opção de contribuir para o INSS e, assim, adquirir direitos aos benefícios previdenciários, como aposentadoria e auxílio-doença.

É importante lembrar que a não realização da contribuição, quando obrigatória, pode resultar em penalidades por sonegação fiscal.



Como é Feita a Contribuição para o INSS?


A forma de contribuição varia conforme o tipo de vínculo empregatício:

  • Empregados: Empregadores são responsáveis por efetuar o desconto diretamente do salário dos empregados e realizar o recolhimento da contribuição ao INSS.

  • Empresários e Autônomos: A contribuição se dá através do pró-labore (empresários) ou da geração de guias próprias (autônomos e contribuintes facultativos). Eles devem fazer a inscrição na Previdência Social e calcular sua contribuição de forma independente.



Como é Calculada a Contribuição?

A contribuição é calculada com base no salário de contribuição, que varia conforme o tipo de segurado e faixa salarial. Para os contratados CLT, o salário de contribuição é a remuneração total. Para autônomos e facultativos, é o valor total recebido no mês, limitado ao teto de contribuição, que em 2023 é de R$ 7.507,49.


As alíquotas variam conforme a faixa de salário e o tipo de segurado. Por exemplo, para contribuintes CLT, a alíquota varia de 7,5% a 14%, dependendo da faixa salarial. Já os autônomos podem escolher uma alíquota entre 5% e 20%.




Mudanças na Tabela de Contribuição INSS 2023


A Reforma da Previdência trouxe alterações na tabela de contribuição do INSS. Para 2023, as alíquotas variam conforme a faixa salarial:



Contribuição de Profissionais Autônomos:

Faixa de Salário de Contribuição

Alíquota

Até R$ 1.320,00

5%*

Até R$ 1.320,00

11%**

De R$ 1.320,01 a R$ 7.507,49

20%***

(*) Alíquota exclusiva do Facultativo Baixa Renda. Não dá direito a Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Certidão de Tempo de Contribuição.

(**) Alíquota exclusiva do Plano Simplificado de Previdência. Não dá direito a Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Certidão de Tempo de Contribuição.

(***) Renda mensal superior a R$7.507,49 fica limitada ao teto da contribuição de 1.501,50.



Contribuição de Empregados CLT:

Faixa de Salário de Contribuição

Alíquota

Até R$ 1.320,00

7,5%

De R$ 1.320,01 a R$ 2.571,29

9%

De R$ 2.571,30 a R$ 3.856,94

12%

De R$ 3.856,95 a R$ 7.507,49

14%


Contribuição de Empresários:


Empresários, como sócios de empresas, não têm um salário fixo, mas contribuem com base no pró-labore, que é uma remuneração mensal que eles mesmos estabelecem. Portanto, a contribuição varia segundo o valor do pró-labore. Eles podem escolher uma alíquota entre 7,5% e 14%, dependendo do valor que desejam contribuir.

Lembrando que essas alíquotas e faixas são específicas para o ano de 2023 e podem sofrer alterações em anos subsequentes. É importante que os contribuintes estejam atualizados sobre as mudanças nas regras da Previdência Social para calcular suas contribuições corretamente.



Prazos para Recolhimento


Os prazos de recolhimento variam conforme o tipo de segurado:

  • Empregados: Até o dia 20 do mês subsequente ao da contribuição.

  • Contribuinte Individual e Facultativo: Até o dia 15 do mês seguinte.

  • Empregados Domésticos: Até o dia 7 do mês seguinte.

  • Microempreendedores Individuais (MEI): Até o dia 20 do mês.

A compreensão do funcionamento do INSS e das recentes mudanças na tabela de contribuição é crucial para garantir que você esteja contribuindo de forma adequada e aproveitando os benefícios da Previdência Social. Certifique-se de cumprir os prazos e alíquotas corretamente, buscando auxílio profissional quando necessário. Dessa forma, você estará mais bem preparado para garantir sua segurança financeira no futuro.


  1. Alíquota para o Regime Geral de Previdência Social (RGPS): É a alíquota que a maioria dos trabalhadores paga. Ela varia de 7,5% a 14%, dependendo do valor do salário.

  2. Alíquota para o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS): É aplicada aos servidores públicos que contribuem para o regime próprio de previdência dos estados e municípios. As alíquotas também variam conforme a faixa salarial.

  3. Alíquota para o Microempreendedor Individual (MEI): Os MEIs têm uma alíquota reduzida, que corresponde a 5% do salário mínimo, destinada à previdência social.




Outros Aspectos Importantes


  • Base de Cálculo: A base de cálculo para o INSS é o valor total do salário do trabalhador, incluindo benefícios como vale-refeição e vale-transporte, mas desconsiderando alguns outros benefícios, como auxílio-alimentação.

  • Autônomos e Empresários: Para autônomos e empresários, o recolhimento do INSS é feito de forma diferente. Eles devem contribuir com uma alíquota específica sobre o valor que recebem como remuneração.

  • Contribuição Máxima: Existe um limite máximo para a contribuição ao INSS. Isso significa que, mesmo que o trabalhador ganhe acima desse limite, sua contribuição será calculada apenas sobre esse valor máximo.

  • Tempo de Contribuição: O tempo de contribuição é um fator importante para determinar quando o trabalhador terá direito à aposentadoria. Quanto mais tempo ele contribuir, maior será o valor do benefício.




Em resumo, o recolhimento do INSS é uma contribuição obrigatória para a previdência social, que visa garantir a proteção financeira dos trabalhadores brasileiros em diferentes situações. Compreender as alíquotas e as regras relacionadas ao INSS é essencial para planejar o futuro financeiro e garantir uma aposentadoria tranquila e outros benefícios previdenciários quando necessário. Consultar um contador ou especialista em previdência social pode ser útil para esclarecer dúvidas específicas relacionadas ao seu caso e planejar sua aposentadoria da melhor forma possível.





8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page