top of page

Grandes Mudanças nos Planos de Saúde: O Que Médicos Precisam Saber

Atualizado: 12 de jan.

Os serviços de saúde suplementar desempenham um papel crucial na vida de milhões de brasileiros, oferecendo acesso a tratamentos médicos e cuidados de saúde de qualidade. No entanto, ao longo dos anos, têm surgido várias preocupações relacionadas aos contratos de planos de saúde e aos reajustes aplicados, levando a problemas legais e injustiças para os beneficiários. O Projeto de Lei 7419/06, também conhecido como PL dos Planos de Saúde, em tramitação há 17 anos, busca trazer mudanças significativas para abordar essas preocupações e proporcionar mais segurança e transparência para os beneficiários.






Proibição da Ruptura Unilateral do Contrato


Uma das mudanças mais importantes propostas pelo PL dos Planos de Saúde é a proibição da rescisão unilateral dos contratos individuais, coletivos ou de autogestão pelas operadoras de saúde. Atualmente, as operadoras podem cancelar contratos sem justificativa, desde que comuniquem com 60 dias de antecedência. Isso frequentemente leva a situações problemáticas, especialmente quando os beneficiários estão em meio a tratamentos ou são idosos, tornando difícil encontrar um novo plano de saúde a curto prazo.

A exceção a essa proibição se aplica apenas em casos de atrasos na mensalidade que superem 60 dias consecutivos, evitando o abuso por parte dos beneficiários. Essa medida visa garantir que os beneficiários não sejam surpreendidos com o término do contrato de forma arbitrária, protegendo seus direitos e interesses.



Padronização dos Reajustes em Planos Coletivos


Outro ponto-chave do projeto diz respeito aos reajustes em planos coletivos, uma preocupação antiga dos beneficiários. Atualmente, cada operadora decide o percentual de aumento, o que pode levar a aumentos injustos e imprevisíveis nas mensalidades. O PL dos Planos de Saúde propõe que o reajuste seja calculado com base na sinistralidade da agrupação de todos os contratos coletivos.

Além disso, se o reajuste proposto pela operadora for superior ao índice determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a agência precisa aprovar esse aumento. Isso assegura que os beneficiários não sejam sobrecarregados com aumentos exorbitantes e que haja um controle mais rigoroso sobre os reajustes em planos coletivos.



Ampliação da Proteção para Pacientes com Doenças Graves e Raras


O projeto também aborda questões relacionadas à recusa de atendimento a pacientes com doenças graves ou raras por parte das operadoras de saúde. Antes, essa proteção era aplicada apenas a idosos e pessoas com deficiência. Com as mudanças propostas, o PL dos Planos de Saúde busca garantir que todas as pessoas com condições médicas graves ou raras tenham acesso aos cuidados de saúde de que necessitam, sem serem negadas pelos planos de saúde.



Prontuário Digital e Compartilhamento de Informações


Além das principais mudanças mencionadas acima, o projeto também sugere a criação de um sistema de prontuário digital que permitirá que informações médicas sejam compartilhadas entre os hospitais públicos e privados. Isso ajudará a resolver um dos principais gargalos na área da saúde, garantindo que informações médicas importantes estejam acessíveis aos profissionais de saúde, independentemente do sistema em que atuam.



Melhor Compreensão das Negativas de Cobertura


O projeto exige que as operadoras expliquem claramente por escrito por que estão recusando um tratamento ou serviço. Isso significa que, se a operadora disser "não" a um tratamento, ela precisará explicar o motivo de forma simples e fácil de entender. Isso ajuda o beneficiário a entender por que um serviço foi negado e a contestar a decisão, se necessário.



Limite nos Custos para Planos com Coparticipação


Se o plano de saúde tem coparticipação, significa que o beneficiário paga uma parte dos custos sempre que usa um serviço médico. O projeto garante que essa parte que o beneficiário paga não seja muito alta, limitando-a a 30% do valor do procedimento, o que evita custos excessivos.


Em resumo, o PL dos Planos de Saúde traz vantagens importantes, como proteger o beneficiário de cancelamentos injustos de contrato, controlar aumentos abusivos nas mensalidades, garantir acesso a cuidados de saúde para pessoas com doenças graves, melhorar o compartilhamento de informações médicas, tornar as negativas de cobertura mais compreensíveis e limitar os custos em planos com coparticipação. Essas mudanças têm o objetivo de tornar o sistema de planos de saúde mais justo e transparente para todos os beneficiários. A aprovação deste projeto pode representar um marco importante na melhoria do sistema de saúde suplementar no Brasil, beneficiando diretamente os médicos e outros profissionais de saúde que atendem aos cidadãos que dependem desses serviços.




6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page